terça-feira, 17 de agosto de 2010

quero passar um weekend com voce…

Deixamos a quinturinha do Arizona na quarta e partimos em direcao a Utah e seu agradavel clima de verao. Tinhamos o casamento de um sobrinho (Cameron) na sexta, Pratt Family Reunion em Lagoon no sabado e a recepcao do casamento de Tom Call no sabado a noite. Quando recebi o convite do casamento de Tom fiquei muito feliz, porque ia ser dificil ir pra Utah so pra isso e sem contar que foi tao bom te-lo na nossa recepcao tambem, que queriamos estar presentes nesse momento especial da vida dele.

Quando tem casamento na familia, todos fazem o possivel pra marcarem presenca e partilhar de um momento tao intimo e sagrado. Eu amo porque sempre aprendo com os conselhos do selador e relembro os que recebi no dia do meu proprio selamento. A bencao adicional e ver tanta gente da familia, coisa muito dificil de acontecer frequentemente, porque todo mundo mora tao longe. O Selamento de Cameron e Virginia aconteceu em Oquir Mount Temple (nao to certa da grafia). Foi muito especial e lindo. E muito bom ver pessoas que se amam sendo seladas e pensar na posteridade justa que pode nascer daquele casal. Sei que quando as almas sao seladas no Templo os ceus se alegram e as estruturas dos mundos sem gloria ou anti-celestes se abalam. Estavamos entre os que se regozijaram. foi tao bom ver que todos os tios do noivo com respectivas esposas e quase todos os primos estiveram la. Ponderei a respeito de como ocasioes que precisam acontecer no Templo tem o poder de unir as familias. Era tao bom olhar em volta durante a cerimonia e ver tanta gente da familia dentro daquela sala. Que sentimento especial!

Sou muito grata pelo amor que ha entre os membros da nossa familia. Podemos dizer que a linguagem falada entre nos e AMOR. Meu cunhado Dennis estava ansioso para como ele mesmo disse: “encher duas casas com gente da familia” (a dele e a do sogro), numa tentativa de aliviar as despesas daqueles que embarcaram nessa. Sua esposa Carla e um doce. O mulher especial arretada. Nos nos hospedamos na casa do pai dela. Um homem tao legal, saudavel e ativo em seus 87 anos de vida. Quando sai de la pedi pra dar-lhe um abraco em forma de agradecimento pelos desjejuns que ele mesmo fazia questao de preparar para cada hospede individualmente. E nem toque nos pratos ou tente ajudar porque ele nao deixa. Um paizao. Um avozao. Eu chorei quando saimos de la. E tao bom sentir tanto amor e sentir que existem pessoas que servem de todo coracao.

Lagoon e um parque em Utah no estilo Disney. Tem muitas formas de diversao e foi agradavel estar la com nosso clan. Depois de quase botar o coracao pela boca em uma montanha russa desisti de me aventurar. Eu nao sou uma “playcenter” ou “mirabilandia” girl. Como disse a marido eu nao costumo pagar pra sentir medo. Prefiro comprar roupa e sapato. Ou entao sair pra comer, sei la. Sem contar que ja acordei no sabado com o nariz “entubido” e meio mole. Nao ter as criancas conosco me fez nao aproveitar Lagoon como eu esperava. Tenho certeza de que se Kohler estivesse la, so de assistir a excitacao dele por diversao ja me daria uma injecao de animo. Entao preferi ficar na grama com marido e meus sogros, batendo altos papos. Ate que os Pratts foram se congregando porque tava chegando a hora do almoco.

Saimos de Lagoon cedo. Voltamos pra “casa” entao. Eu queria ir pro shopping mas tava tao mole que desisti. Tiramos uma soneca maravilhosa que deu trabalho pra se levantar e ir pra recepcao de Tom. Mas fomos, demos-lhe os parabens e comemos muito. Pena que nao tiramos foto. Foi tao bom. Decidimos deixar Utah na noite do sabado ao inves da madrugada do domingo. Marido devia estar um caco porque parou duas vezes pra dormir na estrada, nunca vi isso acontecer. chegamos em casa seguros e felizes. Viajar e bom mas morro de saudade do meu cantinho.

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

“Pedras no caminho?

Guardo todas, um dia vou construir um castelo.” FERNANDO PESSOA.

DSC_0088 foto: Ernie Pratt

As ferias escolares estao acabando aqui no Arizona e as criancas voltarao as aulas dia 9. A gringalhada sempre leva os pequenos pra se divertir no verao (e, aqui a gente experimenta as 4 estacoes do ano). Marido e a mae dos meninos racharam um passe pra que eles fossem pra Disneyland (Disneyworld e mais caro). Isso pra celebrar o aniversario de Kohler no final de junho e prover um divertimento pra eles. Como eu estava em Utah na ocasiao, quem levou as criancas foi a mae. Ela deixou um dia livre no passe pra que eu e marido tambem fossemos la com as criancas. Parece que e assim: Compra-se um passe de nao sei quantos dias e se nao utilizar por aquela quantidade de dias, usa-se o tempo remanescente em outra oportunidade, outra viagem durante aquele ano. Marido queria muito me levar la porque como ja disse em outra ocasiao, tudo pra mim e novidade aqui. Eu disse pra ele: “nao vamos fazer o que nao podemos”. Ele sentiu um alivio danado porque tinha ideia de como andava o nosso orcamento. Eu tenho uma administradora dentro de mim tambem. Quem ja viveu no aperto sabe fazer dinheiro esticar. Eu gosto de usufruir o que posso pagar. A gente ate que poderia, mas pra ficar sufocado e com 0 pra emergencias… oxe, quero isso nao. Temos o selamento de um sobrinho em Salt Lake City em aproximadamente uma semana e pra mim, esse tipo de celebracao e mais importante do que a Disney. As criancas ja tinham ido mesmo com a mae, e se divertiram bastante. conversamos com eles, que ficaram tristes de perder mais um dia de boquinha, mas entenderam e nao se revoltaram. Adoro esses filhos! 4 passes de um dia cada foram doados pra um amigo de trabalho de marido. Ele e a esposa ficaram felizes da vida. E nos tambem por poder dividir e saber dessa reacao.

Meu companheiro lindo e genial como sempre decidiu levar as criancas pra Sedona, uma cidadezinha aqui no Arizona que tem uma paisagem linda e unica como o Grand Canyon, so que menor. As montanhas rochosas destacam-se na paisagem pela cor avermelhada. O passeio seria do tipo: Vamos pra dormir e na manha seguinte faremos uma trilha no parque mencionado, apos isso retornaremos. Uma decisao tomada em sintonia com nosso bolso. So pra dar uma alegriazinha pras criancas na semana que antecede o retorno as aulas. Pra mim foi otimo. Conheci um novo lugar, me diverti em familia, acabei me exercitanto por conta da trilha e ainda peguei um bronze! Todo mundo ficou feliz.

Um dos desafios da vida de casados e viver dentro de um orcamento. Eu sempre fui ligada nessas coisas mesmo solteira. Tinha minha listinha de custos fixos pelos proximos 3 meses pelo menos, o que facilitava a “direcao e altura de meus voos”. Como esposa, sim, sexo feminino, a gente tem a lista de luxuria e ela pesa na balanca do orcamento. Precisamos ser sabias. Usar o batom ate o fim, a ultima gota de perfume e ate mesmo abrir mao de algo que “na duvida, melhor nao botar na sacola”.

Seguem umas fotos da nossa pequena aventura em Sedona.

terça-feira, 3 de agosto de 2010

E salve os blogs…

Quando eu ouvi falar de blog a primeira vez, uma centena de anos atras, achei tao ridiculo. Foi uma reportagem em algum telejornal da Globo. Descrevia-se como essa mania tava crescendo e que tratava-se de diarios virtuais. Eu pensava: “como e que que alguem vai querer tratar de “seus segredos” publicamente?” Eu era analfabeta tecnologica naquela epoca. Quando me inseri no mundo dos e-mails e www`s da vida, fui vendo quanta coisa boa tambem se podia disseminar na rede. Achei bom. A gente acaba escolhendo o que quer ler, o que quer ver, se nao agrada nosso paladar mental ou visual, num clique se viaja para outro mundo completamente diferente.

Eu ja tive o prazer e a alegria de compartilhar de momentos importante na vida de meus amigos, so porque eles foram generosos o suficiente pra dividirerem suas experiencias ao publicarem-nas. Ja fui elevada as alturas com a criacao de muitas mentes brilhantes que estao disponiveis a torta e a direita. Mantenho-me conectada aos ultimos acontecimento da vida de amigos e familiares porque eles estao postando passo a passo. Que bom! Logo agora que eu tenho a sensacao de estar longe de todo mundo, a internet tem sido minha tv de plasma da hora, informando-me de tudo o que acontece aqui e acola. Eu amo esse negocio!

Na minha igreja, os membros normalmente sao chamados pra fazerem alguma coisa, liderar grupos, dar aulas, treinamentos, elevar, ajudar. Eu fui chamada aqui pra fazer uma coisa que eu ja fazia no Brasil por anos e anos. Trabalhar com as jovens de 12 a 18 anos. Eu sempre fui bem comunicativa, brincalhona e esperta. Juro que nao to me exibindo. Alguns tracos da minha personalidade me ajudam a ser uma otima “profissional da comunicacao”. Quando lidamos com gente isso acaba se tornando ouro, um bem valiosissimo. Mas ai vem aquela historia de “quando a gente ja sabe todas as respostas, o Senhor chega e muda todas as perguntas”. Um sentimento de incapacidade estava tomando conta de mim, acho que no fundo era mais medo. Eu estava me sentindo uma menininha que tinha que aprender o b-a-ba novamente. Apesar de me comunicar bem em ingles, a ideia de que eu ia ter que dar aula a essas jovens na igreja me deixava apavorada. Passei horas online estudando o manual da aula. Queria fazer auxilios visuais, porque aulas monotonas sao uooooo. A gente nao aguenta isso em faculdade quanto mais em igreja!

Resolvi apelar para os blogs. Pesquisei o tema da aula que eu ministraria, e achei um panfleto aqui, uma gravura legal pra fazer um marcador de paginas aqui e fiquei pensando: que massa! Usei a sintonia do espirito pra selecionar os temas abordados, porque os manuais sempre tem mais informacao do que o tempo nos permite abordar, e ao final, fiquei feliz de poder executar o servico que fui chamada para fazer. Sinto uma gratidao danada por essa gente que compartilha num mundo tao egoista. E salve os blogs…

I`m...

Minha foto
Chandler, Arizona, United States
Sou a CEO da minha familia, a chef da nossa cozinha, piloto de fogao, especialista em transportes, decoradora, pscicologa, medica, esposa, mae, amiga... a lista e grande. mas tem uma coisa que sou igualzinha a voce: IMPERFEITA (O).